Posts

Importância dos alimentos na saúde

Todos nós sabemos que uma alimentação adequada é a chave para uma vida saudável. Uma alimentação correta é aquela que possui todos os nutrientes necessários para o organismo e na quantidade apropriada. Sendo assim, comer em grande quantidade não é sinônimo de ter uma alimentação saudável.

→ Qual é a função dos alimentos?

Os alimentos são utilizados pelo nosso organismo para realizar o metabolismo, ajudar na manutenção e crescimento dos tecidos, além de fornecer energia. Vale destacar, no entanto, que as funções desempenhadas por um dado alimento dependem dos nutrientes que ele possui.

Para aproveitar os alimentos, nosso corpo conta com o sistema digestório, que é responsável por quebrá-los em porções menores para serem aproveitadas pelo organismo. A porção do alimento que é aproveitada pelo corpo é denominada de nutriente.

→ Quais são os nutrientes existentes?

Os alimentos possuem diferentes nutrientes, que são geralmente classificados em macronutrientes e micronutrientes. Os macronutrientes são aqueles que o nosso corpo necessita em grande quantidade, enquanto os micronutrientes são aqueles que o organismo precisa em pouca quantidade.

Os macronutrientes são:

  • Carboidratos: nutrientes que se destacam por fornecer energia para o corpo;
  • Lipídios: nutrientes que servem de reserva de energia, ajudam a absorver algumas vitaminas, além de proteger contra choques mecânicos e o frio;
  • Proteínas: nutrientes fundamentais para o crescimento e manutenção dos tecidos do corpo.

Os micronutrientes são:

  • Vitaminas: nutrientes relacionados com as mais diversas funções do organismo, como fortalecimento do sistema imunológico, manutenção de tecidos e a realização dos processos metabólicos.
  • Sais minerais: nutrientes que atuam nas mais variadas funções do organismo, como a constituição de ossos e dentes, regulação de líquidos corporais e composição de hormônios.

→ Importância dos alimentos e dos nutrientes para a saúde

Os alimentos possuem nutrientes que favorecem o funcionamento correto do organismo. Diante da falta de alguns nutrientes, o corpo pode sofrer graves consequências em virtude da interrupção de alguma atividade básica. É por isso que uma alimentação saudável deve conter todos os nutrientes necessários para que a nossa saúde esteja garantida.

desnutrição ocorre quando uma pessoa apresenta a deficiência de algum nutriente. Ela pode ser desencadeada por uma alimentação insuficiente ou por outros problemas, como verminoses, anorexia, câncer, problemas de absorção, alergia ou intolerância alimentar.

A desnutrição pode levar a problemas fisiológicos, que, em casos graves, podem desencadear a morte do paciente. Normalmente a desnutrição é diagnosticada em razão da falta de energia para realizar tarefas, anemia, problemas de crescimento, mudanças na pele, entre outros sinais e sintomas.

Para evidenciar a necessidade de uma alimentação saudável, podemos citar alguns problemas causados pela falta de vitaminas no corpo. A falta de vitamina A, por exemplo, desencadeia problemas na visão, como a cegueira noturna, em que pacientes não conseguem enxergar em ambientes pouco iluminados. Já a falta de vitamina D pode levar ao não desenvolvimento dos ossos.

Para ter um organismo saudável, é importante ter uma alimentação saudável, com diferentes grupos de alimentos e em quantidade adequada. Para auxiliar na quantidade de alimento que deve ser ingerida, pode-se utilizar como base as informações contidas na pirâmide alimentar, um recurso que ajuda a população a entender as necessidades diárias de cada nutriente.

→ Como ter uma alimentação saudável?

De acordo com o Ministério da Saúde, 10 passos devem ser seguidos para uma alimentação saudável. São eles:

  1. Faça pelo menos três refeições e dois lanches saudáveis por dia;
  2. Inclua diariamente seis porções do grupo de cereais e tubérculos como as batatas e raízes nas refeições. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na sua forma mais natural;
  3. Coma diariamente pelo menos três porções de legumes e verduras como parte das refeições e três porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches;
  4. Coma feijão com arroz todos os dias ou, pelo menos, cinco vezes por semana;
  5. Consuma diariamente três porções de leite e derivados e uma porção de carnes, aves, peixes ou ovos.;
  6. Consuma, no máximo, uma porção por dia de óleos vegetais,azeite, manteiga ou margarina;
  7. Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas doces e outras guloseimas;
  8. Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa. Evite consumir alimentos industrializados com muito sal (sódio);
  9. Beba pelo menos dois litros (seis a oito copos) de água por dia;
  10. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias e evite as bebidas alcoólicas e o fumo.

Fonte: Info Escola

Quais são os benefícios do vinho?

No geral, os vinhos possuem polifenóis, que são compostos com função antioxidante, ou seja, que combatem os radicais livres que causam lesões celulares.

A diferença entre os tipos da bebida está principalmente nessas concentrações de antioxidantes.

Os benefícios do vinho só são válidos se forem aliados a bons hábitos de saúde.

Veja os principais:

Contém antioxidantes

O vinho é cheio de antioxidantes que atacam os radicais livres que causam diversos problemas de saúde, como o câncer e o envelhecimento precoce.

Combate doenças

O consumo moderado de vinho pode evitar infecções e manter o sistema imunológico sob controle.

Previne a osteoporose

A bebida pode ser ótima para a densidade óssea (quantidade de cálcio nos ossos), reduzindo as chances de osteoporose, doença em que o esqueleto fica frágil e quebradiço.

Anticoagulante natural

O consumo moderado de vinho pode reduzir a coagulação do sangue. Ele atua como um anticoagulante natural, aumentando a chance de romper qualquer coágulo sanguíneo que possa levar a um derrame.

Previne doenças cardiovasculares

Ele pode ser ótimo para a saúde do coração, já que contém procianidinas, elementos eficazes na prevenção de doenças cardiovasculares.

Além disso, reduz a formação de placas que entopem artérias, aumenta o colesterol bom, diminui a inflamação e inibe a coagulação do sangue, o que diminui o risco de aterosclerose (enrijecimento das artérias).

Pode diminuir o colesterol

As mesmas propriedades que ajudam na saúde do coração também promovem o colesterol mais baixo. Há diminuição do LDL – colesterol ruim – e aumento do HDL – colesterol bom.

Bom para diabetes

O fitonutriente resveratrol em suas propriedades demonstrou melhora da sensibilidade à insulina. Essa resistência contribui para reduzir o risco de diabetes tipo 2.

Para o cérebro

O vinho pode melhorar as funções cognitivas, já que seus ingredientes colaboram com o prolongamento da vida dos neurônios. Assim, ele protege o cérebro da demência e reduz o aparecimento de doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson.

Fonte: Portal Ativo Saúde

Vegetais verdes: saiba quais os benefícios para a saúde

Não há dúvida: tomate, cenoura e brócolis são ricos em nutrientes. Mas, para obter todas as vitaminas e minerais necessários ao organismo, você precisa variar a lista de verduras e legumes.

É tudo muito difícil de preparar? A nutricionista Carolina Nizer, do Lapinha Spa, no Paraná, ajuda você a vencer esse mito sugerindo como incluir acelga, couve e aipo nas receitas do dia a dia. E revela o que você ganha com isso.

Acelga

O que tem: especialmente magnésio, ferro e vitaminas E e K.

Frutas vermelhas

Frutas vermelhas – morango, framboesa, amora, mirtilo – são uma das fontes mais potentes de antioxidantes no planeta. Seus fitoquímicos, incluindo antocianinas, catequinas, ácido elágico, flavonóides, ácido gálico, quercetina, rutina e vitamina C ajudam a prevenir alguns tipos de câncer, infecções urinárias, doenças cardíacas e perda de memória.

 

8 dicas para evitar exageros nas festas de fim de ano

Uma coisa é fato: as festas de fim de ano são ocasiões em que os exageros são comuns – quem nunca terminou a ceia com aquela sensação de quem comeu demais? Ou acordou de ressaca no dia seguinte? Porém, passar dos limites com a quantidade de comida e de bebida ou dormir pouco prejudica o organismo. E claro, acaba com qualquer dieta.

De acordo com Otavio Gebara, diretor clínico e cardiologista do Hospital Santa Paula, sucumbir às tentações da ceia pode causar uma série de danos ao organismo, inclusive cardíacos. O excesso pode sobrecarregar as funções de diversos órgãos, como o coração.

“No sistema digestivo, além do desconforto por ter se excedido na quantidade de comida, comer demais provoca gases, dores e queimação. A digestão prejudicada afeta todo o corpo humano, pois aumenta a produção de toxinas, causa alteração nas taxas de colesterol e glicose, além de elevar a pressão arterial”, alerta.

A dica para aproveitar bem as delícias das ceias de fim de ano é evitar alimentos muitos gordurosos, como bacon, frituras e maioneses, e dar preferência a alimentos menos calóricos como saladas, legumes, frutas e carnes magras. Substituir os refrigerantes por sucos de frutas também é uma boa pedida.

Para te ajudar a evitar os exageros de final de ano, o Guia da Semana, com a ajuda do médico Otavio Gebara, reuniu algumas dicas bacanas. Confira:

1 – Durante o preparo dos alimentos, evite o uso de sal e óleos. Use nas finalizações dos pratos, pois desta forma o consumo de sódio e gordura saturada é menor.

2 – Elabore saladas de folhas e incremente com maçãs verdes, nozes e molhos de frutas (maracujá, abacaxi ou manga).

3 – Dê preferência às carnes magras, como as aves especiais de Natal (chester, peru e bacalhau).

4 – Tente ingerir todos os tipos de nutrientes. Segundo o especialista, um prato com arroz e lentilha (carboidrato com leguminosa), chester (proteína e lipídeo), salada de folhas com tomate, palmito e legumes regado com azeite (vitaminas, minerais e lipídeo), por exemplo, é uma boa escolha.

5 – Prepare cestas com frutas da época ou arranjos com abacaxis. Elas ficam bem bonitas e são ótimas opções para a sobremesa.

6 – Tudo o que você come em excesso pode ser um vilão nesta época. Segundo o cardiologista, a tentação de experimentar um pedaço de cada sobremesa é o que realmente nos faz ‘passar do ponto’. Diante disso, opte por apenas uma das delícias e mantenha a quantidade de açúcar sob controle.

7 – O consumo de bebida alcoólica deve ser feito com moderação e responsabilidade. Afinal, 1 ml de álcool contém aproximadamente 7 kcal. Segundo o médico, uma boa dica é intercalar um copo de bebida com um de água ou suco e se alimentar ao longo da noite. Dessa forma, a absorção de álcool pelo organismo torna-se mais lenta.

8 – Substitua as bebidas gaseificadas por sucos naturais e coquetéis de frutas, que contém vitaminas e minerais.

Fonte: Portal Guia da Semana

 

 

 

 

Como fazer o churrasco perfeito

No DVD A Magia do Churrasco, Marcos Bassi, um dos nomes mais respeitados quando o assunto é “churrasquear”, dá 5 dicas sensacionais para transformar seu churrasco num grande sucesso.

Confira essas TOP dicas…

1. Tem que ser carnudo

Carne fresca é bem vermelha. Carne escura é sinal de que ficou muito tempo no mercado. Dica para a picanha: peças que pesam mais de 1,1 kg incluem partes de coxão duro. Picanha de verdade é pequena.

2. Maneire no sal

Espalhe sal grosso na carne e na gordura, mas bata o excesso. Isso deve ser feito 5 minutos antes do churrasco. Nada de salgar na noite anterior, senão o sal suga os líquidos da carne e a deixa com jeito de bacalhau – seco e salgado.

3. Monte o carvão do jeito certo

Faça uma pirâmide de carvão a 10 cm da grelha. Concentre-a em um lado para ter duas temperaturas: uma mais alta para dourar a carne, próxima ao carvão, e outra mais baixa, no canto oposto, para cozinhar lentamente.

4. Valorize a gordura

A gordura armazena boa parte do aroma e do sabor da carne. Faça incisões nela (sem chegar à carne), em um quadriculado. Asse primeiro com a gordura para cima. Isso derrete a gordura, que penetra a carne e a deixa molhada. Dica: espalhe as cinzas do churrasco anterior sobre o carvão para diminuir a fumaça quando pingos de gordura caírem.

5. Virada é mais gostoso

Quando a parte de baixo estiver dourada, é hora de virar a gordura para o fogo. Isso impede que o calor penetre na carne, e ela assa lentamente. Atenção: não fure a peça ao virá-la. Qualquer incisão, e os sucos da carne vão para o espaço. Use um pegador, e não um garfo, ou faça do jeito gaúcho: asse no espeto. Se você seguir estas dicas, a carne ficará “selada”: cauterizada em temperatura alta por todos os lados e com os sucos armazenados!

Caso desejar comprar ou adquirir o DVD, acesso o site

http://www.emporiummarcosbassi.com.br/dvd-marcos-bassi-a-magia-do-churrasco.html

WAFFLE CLÁSSICO

INGREDIENTES

  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 2 colher (sopa) de açúcar
  • 2 colheres (chá) de fermento em pó
  • 1/2 colher (chá) de sal
  • 2 colheres amido de milho
  • 3 ovos batidos
  • 4 colheres (sopa) de manteiga sem sal derretida
  • 1 e 3/4 de xícara (chá) de leite
  • 1 colher (sopa) de essência de baunilha

MODO DE PREPARO

  1. Peneire em um recipiente a farinha de trigo, o açúcar, o amido, o fermento e o sal
  2. Reserve
  3. Em outro recipiente misture os ovos batidos com o leite, a manteiga derretida e a essência de baunilha
  4. Despeje sobre a mistura de farinha e rapidamente incorpore os ingredientes
  5. Aqueça o aparelho para Waffles
  6. Coloque uma concha rasa de massa e espalhe até cobrir o molde do aparelho, feche a tampa e deixe assar até a massa ficar bem dourada
  7. Retire com espátulas de silicone
  8. Sirva com mel, frutas ou geleia

Fonte: Tudo Gostoso

Os benefícios do café para a sua saúde

O hábito de tomar café, desde que em doses moderadas (de 4 a 5 xícaras de 50 ml por dia), não oferece riscos ao organismo, muito pelo contrário, proporciona diversos benefícios. Entre os motivos está sua riqueza nutricional, com destaque não apenas para a cafeína, famosa por seu efeito estimulante, mas também pela alta concentração de polifenóis – antioxidantes que impedem, ou ao menos diminuem, a ação dos radicais livres, que prejudicam o equilíbrio celular. Segundo recentes descobertas científicas, o café tem diversas propriedades que contribuem para a prevenção de doenças e promoção do bem-estar. Confira a seguir:

Acelera o metabolismo e queima calorias

Segundo o endocrinologista Filippo Pedrinola, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) e da Sociedade Americana de Endocrinologia, a cafeína é uma das poucas substâncias naturais que ajudam a queimar calorias. “Outros estudos mostram que ela pode aumentar especificamente a queima de gordura por meio da ativação do sistema nervoso simpático e oxidação lipídica. A substância aumenta os níveis de adrenalina no sangue, e este hormônio quebra as células de gordura, liberando-as no sangue como ácidos graxos livres que atuam como combustível e, portanto, melhoram a performance nas atividades físicas, conforme o estudo publicado no International Journal of Sports Nutrition e no Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports”, ressalta o especialista.

Aumenta a expectativa de vida

Uma ampla pesquisa sobre a relação entre o consumo de café e a longevidadefoi realizada por especialistas da Iarc (International Agency for Research on Cancer) e do Imperial College de Londres. Os pesquisadores descobriram que o grupo que consumia a bebida diariamente estava associado a um risco menor de morte por qualquer causa – principalmente por doenças dos sistemas circulatório e digestivo.

Diminui o risco de depressão

De acordo com os cientistas da Harvard School of Public Health, este efeito de antidepressivo natural se deve ao estímulo que a cafeína causa no sistema nervoso central, capaz de aumentar a produção dos neurotransmissores cerebrais como noradrenalina, dopamina e serotonina – os hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar.

Fortalece a memória

Estudos realizados na Universidade Johns Hopkins concluíram que duas xícaras diárias de café podem trazer benefícios incríveis para a memória. Observou-se que os voluntários que tomaram cápsulas de cafeína tiveram um melhor desempenho nos experimentos de memória do que os que ingeriram placebo, levando os cientistas a concluírem que a cafeína tem um efeito positivo em nossa memória de longo prazo, tornando-a mais resistente ao esquecimento.

Garante mais atenção ao volante

A cafeína diminui a possibilidade de se envolver em acidentes de trânsito, já que melhora a atenção e o estado de alerta e afasta o sono. É o que diz uma pesquisa realizada pela The George Institute, da Universidade de Sydney. De acordo com o estudo, os motoristas que consumiam a substância eram 63% menos propensos a causar um acidente do que aqueles que não a ingeriam.

Fortalece o coração

Essa é a conclusão dos pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard(HSPH), que constataram que beber uma ou duas xícaras de café diariamente pode ajudar a proteger contra a insuficiência cardíaca em até 11%. Os benefícios protetores do café parecem atingir o pico no consumo de 4 xícaras por dia e diminuem lentamente à medida que mais bebida é consumida.

Diminui o diabetes

O consumo do café está associado a uma menor incidência de diabetes mellitus tipo 2, de acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes. A maior pesquisa sobre o tema aferiu uma redução no risco da doença em até 35%. O consumo de 2 xícaras da bebida por dia já apresentou benefícios e, conforme se aumentou a ingestão (até 6 xícaras), menor foi a incidência. Tudo indica que as propriedades antioxidantes do café podem trazer benefícios para o metabolismo da glicose, desde que ingerido moderadamente.

Alivia os sintomas do mal de Parkinson

Essa excelente notícia foi anunciada por neurologistas da Universidade McGill, em Montreal, no Canadá. O estudo, publicado na revista Neurology, acompanhou um grupo de 61 pessoas com Parkinson. As pessoas que receberam suplementos de cafeína experimentaram uma melhora, principalmente em relação à velocidade de movimento e redução da rigidez, em comparação àqueles que receberam um placebo.

Protege contra o Alzheimer  

Uma pesquisa realizada pela Universidade do Sul da Flórida e da Universidade de Miami monitorou os processos de memória e pensamento de 124 pessoas com mais de 65 anos e descobriu que aqueles que tiveram níveis mais elevados de cafeína no sangue evitaram o aparecimento do Alzheimer. Além disso, o café parecia ser a principal ou única fonte de cafeína para esses indivíduos.

Para ser bom, tem que ter o Selo de Qualidade ABIC

Tomar um café quentinho é um grande prazer para quem aprecia a bebida. Mas para desfrutar de todo seu frescor, aroma e sabor, é importante verificar se na embalagem do produto há o selo de qualidade ABIC. Há 45 anos, a Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) avalia e certifica os produtos à venda no Brasil, com foco na Pureza, na Qualidade e na Sustentabilidade do café. É esse selo que assegura a qualidade do produto final por meio de uma metodologia de análise sensorial que avalia a percepção dos aromas da bebida e seu grau de intensidade, bem como os sabores característicos e o amargor. Somente depois de serem provados e aprovados por especialistas, são classificados em uma escala que qualifica o produto nas categorias Extra Forte, Tradicional, Superior e Gourmet.

Fonte: Portal Saúde

O que comer e o que evitar para ter um coração mais saudável.

São tantos estudos dizendo o que faz bem ou não faz ao coração que é normal ficar confuso com as informações. Pensando nisso, pesquisadores do Colégio Americano de Cardiologia decidiram fazer uma meta-análise das pesquisas já existentes sobre os prós e contras de alguns alimentos na prevenção de doenças cardiovasculares.

Alimentos adicionar à dieta

Além de ajudarem no emagrecimento, leguminosas como feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha, soja, e amendoim diminuem os níveis de colesterol e reduz os riscos de doença do coração e hipertensão. “Legumes são acessíveis e uma rica fonte de proteína”, diz Freeman.
Mas a verdadeira boa notícia é que o café foi associado a um risco reduzido de morte por qualquer causa, bem como a morte por doença cardíaca. Não foram encontradas ligações entre o consumo da bebida e o risco de pressão alta.
Alguns estudos sugeriram que o chá preto e o verde, quando consumidos sem adição de laticínios, açúcar ou adoçantes, também podem contribuir para um coração saudável.
Segundo Freeman, apesar de não existir um padrão alimentar perfeito para prevenir doenças cardíacas, a maioria das evidências reforçam a ideia de que uma dieta predominantemente baseada em vegetais, com menos gordura, açúcares adicionados, sal, alimentos processados ​​e produtos de origem animal limitados beneficia a saúde do coração.

Alimentos que é melhor evitar

Embora alguns estudos sugerissem que laticínios com baixo teor de gordura podem reduzir a pressão arterial, os pesquisadores descobriram que esses alimentos também podem elevar os níveis de colesterol “ruim”, fraturas e risco de morte por qualquer causa. A explicação seria porque os laticínios são ricos em gorduras saturadas e, no caso de alguns queijos, em sal. Por esse motivo, o ideal seria consumir esses alimentos com cautela.

Fonte: Portal UOL