Quais são os benefícios do vinho?

No geral, os vinhos possuem polifenóis, que são compostos com função antioxidante, ou seja, que combatem os radicais livres que causam lesões celulares.

A diferença entre os tipos da bebida está principalmente nessas concentrações de antioxidantes.

Os benefícios do vinho só são válidos se forem aliados a bons hábitos de saúde.

Veja os principais:

Contém antioxidantes

O vinho é cheio de antioxidantes que atacam os radicais livres que causam diversos problemas de saúde, como o câncer e o envelhecimento precoce.

Combate doenças

O consumo moderado de vinho pode evitar infecções e manter o sistema imunológico sob controle.

Previne a osteoporose

A bebida pode ser ótima para a densidade óssea (quantidade de cálcio nos ossos), reduzindo as chances de osteoporose, doença em que o esqueleto fica frágil e quebradiço.

Anticoagulante natural

O consumo moderado de vinho pode reduzir a coagulação do sangue. Ele atua como um anticoagulante natural, aumentando a chance de romper qualquer coágulo sanguíneo que possa levar a um derrame.

Previne doenças cardiovasculares

Ele pode ser ótimo para a saúde do coração, já que contém procianidinas, elementos eficazes na prevenção de doenças cardiovasculares.

Além disso, reduz a formação de placas que entopem artérias, aumenta o colesterol bom, diminui a inflamação e inibe a coagulação do sangue, o que diminui o risco de aterosclerose (enrijecimento das artérias).

Pode diminuir o colesterol

As mesmas propriedades que ajudam na saúde do coração também promovem o colesterol mais baixo. Há diminuição do LDL – colesterol ruim – e aumento do HDL – colesterol bom.

Bom para diabetes

O fitonutriente resveratrol em suas propriedades demonstrou melhora da sensibilidade à insulina. Essa resistência contribui para reduzir o risco de diabetes tipo 2.

Para o cérebro

O vinho pode melhorar as funções cognitivas, já que seus ingredientes colaboram com o prolongamento da vida dos neurônios. Assim, ele protege o cérebro da demência e reduz o aparecimento de doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson.

Fonte: Portal Ativo Saúde

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.