Posts

Combinar a massa com o molho perfeito

Combine a massa com o molho perfeito

Você sabia que existem mais de 300 tipos diferentes de massas no mundo, cada uma com sua forma de cozimento, formato e ingredientes diferentes?
Pois é… Aí você quer arrasar naquele almoço de domingo ou simplesmente acertar na combinação daquele prato especial no restaurante e não sabe como harmonizar o pedido, não é?
Seus problemas acabaram! Confira essas dicas!

Massas longas:
Tipo: Espaguete, Fettuccine, Talharim, Ninho, Pappardelle, Linguine.
As massas longas combinam com molhos mais líquidos como: ao sugo, carne, molho à carbonara, frutos do mar ou branco. Também ficam ótimos em versões mais leves, com alho e óleo ou molho de ervas.

Massas curtas:
Tipo: Conchiglione, Gravata, Caracol, Fusilli, Rigatoni, Penne, Tortiglioni.
Podem ser servidas com molhos frios ou quentes. Os que mais combinam são: molhos de iogurte, vegetai, quatro queijos, tomate, cogumelos ou gorgonzola.

Outros tipos de massa:
Tipo: Capeletti, Lasanha, Ravioli, Canelone, Tortelloni, Tortellini, Rondelli.
Aposte nos molhos mais concentrados e condimentados como: bolonhesa, três queijos e rosé.

Aqui no Ícaro Rio Sul nós temos várias sugestões de massas e molhos. Confira em nosso cardápio.

Fonte: Chefs Club

Como presentear com o vinho perfeito

Como presentear com o vinho perfeito

Quem ama vinhos certamente já pensou em presentear um amigo querido, uma namorada ou mesmo o chefe com uma boa garrafa de vinho. Nessas horas, até o maior dos enólogos fica inseguro e precisa levar em conta alguns fatores de escolha.

Antes de mais nada, leve em consideração o gosto do presenteado. Não adianta nada dar a ele um vinho que você adora, mas que talvez ele não vá se interessar. O melhor a fazer é encontrar um meio termo, algo que deva despertar emoção nele, mas que também seja do seu gosto. Fora isso, há outras cinco dicas que podem lhe ajudar a dar um presente inesquecível.

1. Gosto pessoal

Preste atenção no gosto do presenteado. É possível que ele tenha alguma predileção por um tipo de vinho, um país produtor, uma denominação de origem, uma variedade de uva ou mesmo uma vinícola. Dado esse primeiro passo, é hora de afunilar a escolha. Você pode optar por um rótulo impactante tanto por sua safra especial quanto por sua nota elevada na crítica, ou então escolher um vinho inusitado, que desperte curiosidade. Exemplo: se o presenteado for um amante de Pinot Noir, por que não escolher um varietal de uma região recentemente descoberta, como Oregon, nos Estados Unidos?

2. Vinho para harmonizar

Caso conheça o gosto gastronômico do presenteado, seu prato predileto, ou saiba de algo que ele adore cozinhar, aproveite para comprar um vinho que harmonize perfeitamente com o menu. Para não correr o risco de errar, peça uma indicação a algum sommelier de sua confiança ou dê uma vasculhada nas matérias de harmonização deste Almanaque do Vinho.

3. História de vida

Outra boa maneira de escolher um rótulo é levar em conta a história de vida do presenteado. Se sua ascendência for de imigrantes italianos, por exemplo, vinhos da região de onde seus parentes vieram é uma boa opção. Mas não caia no óbvio de optar por um vinho da região em que a pessoa vive. A graça irá se perder. Além dessa possibilidade, você também pode presenteá-lo com um vinho originário de algum país que ele visitou e adorou, o local de sua lua de mel, a origem da empresa em que trabalha (caso seja um agrado profissional) ou então fazer menção a uma terceira pessoa através do vinho, como escolher um bom rótulo espanhol para os fãs de Rafael Nadal. Enfim, use a criatividade e tente se lembrar de ligações que possam gerar grandes escolhas.

4. Unir vinho aos hobbies

Assim como qualquer outro presente, o vinho também pode ser uma alternativa personalizada. Existem vinhos que estão intimamente ligados a certos temas e fatores, tanto pelo produtor em questão quanto pelo nome e rótulo. Para os fãs da pop art, um vinho da coleção “Tribute to Andy Warhol” é uma escolha garantida. Para aqueles que preferem a sétima arte, um vinho da vinícola de Francis Ford Coppola agradaria bastante. Se a preferência for por golfe, que tal uma garrafa da vinícola de Greg Norman? Há outros vários vinhos “temáticos”, por assim dizer, que podem casar perfeitamente com os gostos pessoais e profissionais de seu presenteado.

5. Importância da data

Por fim, o mais comum é escolher um vinho de uma safra que seja relevante para a pessoa. Mesmo que não seja um grande vinho, com certeza irá agradar. O ano do nascimento dele ou dos filhos, a data em que ganhou alguma coisa muito importante, em que se formou ou em que foi promovido são boas opções. O maior problema, nesse caso, será encontrar a safra em questão. À medida que o tempo vai passando, elas vão ficando cada vez mais caras e raras.

Pense em criar uma relação emocional e não no preço

Em todos esses casos, o preço do vinho não é o principal fator. A não ser que seja um vinho caríssimo, isso não fará muita diferença para o presenteado. Os motivos que o levaram a escolher esse presente, sim, serão lembrados por um bom tempo.

Fonte: Portal UOL – Revista Adega