Dia do Sorvete

Hoje, dia 23 de setembro, é comemorado o dia mundial do SORVETE!!

Com o calorão brasileiro chegando, o sorvete é sem dúvida um dos nossos melhores amigos. Sempre lá para dar uma resfriada na cuca e deixar aquele sabor maravilhoso. Mas você sabe como nasceu o sorvete?

A Origem do Sorvete

Na verdade, não se sabe ao certo sobre a criação do sorvete em si, mas existem referências do imperador romano Nero (37 d.C – 68 d.C) mandando seus empregados trazerem NEVE e GELO das montanhas para que assim pudesse misturar esses “ingredientes” com frutas.
Do outro lado do mundo, na China, em 618 d.C-697 d.C, o imperador chinês King Tang também teria sua própria fórmula para o que viria a ser o sorvete. Naquela ocasião, o imperador combinava leite com água do rio.
Uma terceira história diz que o sorvete foi criado há mais de 3.000 anos na China, onde misturava-se uma pasta de leite de arroz com neve, e o resultado ficava parecido com uma raspadinha.
Apesar disso tudo, a teoria mais aceita diz que foram os persas que criaram o SORVETE.
Nada disso se compara ao maravilhoso sorvete que temos atualmente, mas com certeza era melhor do que muita comida da época!

Sorvete, Sorbet e Gelato

Hoje em dia existem três sobremesas que são bem parecidas. Com características diversas, os três são normalmente confundidos. São elas: GELATO, SORVETE E SORBET.

Gelato:

O Gelato é o mais “fresco” dos três. Isso porque é fabricado diariamente, sempre usando ingredientes frescos. A temperatura do gelato fica entre 12º e 14º e é a especialidade italiana (junto com a pizza, sobre a qual já falamos aqui no blog: conheça a origem da pizza, a comida mais amada do Brasil)

Os ingredientes principais do gelato são: água, açúcar, leite e algum sabor. Há uma dose essencial de água e açúcar para garantir a textura certa ao gelato, enquanto cada sabor possui sua proporção de açúcar.

Sorvete:

O sorvete é o tipo mais comum e é que achamos nos supermercados. Eles são bem parecidos com o gelato em sua composição, mas diferem na quantidade de açúcar e água. Eles possuem mais água que os gelatos artesanais. Por conta da necessidade de armazenamento dos sorvetes (para durarem mais tempo), a temperatura ideal dos mesmos fica entre -20º e -25º, uma temperatura impressionante para quem vive nos 40º do Rio, por exemplo.

Sorbet:

O sorbet é o mais diferente entre os três, pois não possui leite! Com uma validade de 5 dias e uma temperatura de -20º, os sorbets são bem próximos a uma raspadinha, com pequenos cristais de gelo.

Curiosidade:

A primeira sorveteria do mundo é parisiense e surgiu em 1660. Aberta por Procopio Coltelli, a sorveteria continua funcionando até hoje na capital francesa.
A primeira sorveteria no Brasil surgiu em 1835, no Rio de Janeiro.
Sem geladeiras na época, o gelo era conservado com barras de gelo misturadas com serragem e guardadas em túneis subterrâneos. O gelo se conservava por até cinco meses.
Chegou a hora boa! Que tal um sorvete?!

Uma lista de vinhos frescos para os dias de Primavera

A importadora Mistral lançou mais de 10 rótulos novos, entre brancos, rosés e tintos, do Novo e Velho Mundo. Com a mudança de estação para a Primavera e com a vinda dos dias mais quentes, montamos uma listinha de oito vinhos frescos para aliviar as altas temperaturas.

La Camioneta Sauvignon Blanc 2016
Este Sauvignon Blanc chileno é elegante e fresco. Do produtor Viña Montes, foi uma boa surpresa aos moldes modernos da vinícola. De alta intensidade aromática, o vinho branco é atraente no nariz trazendo frutas cítricas como limão, abacaxi e maracujá. É mineral e fresco. Na boca é redondo, fácil de beber com acidez deliciosa, que te faz repetir a taça. Teor alcoólico: 13%.

Allo Alvarinho – Loureiro 2015
Do produtor português Soalheiro, este é um corte de Alvarinho com Loureiro. É bem leve, mineral e fresco. Ótimo para esses dias quentes de primavera. Os aromas reservam frutas e flores brancas, amêndoas, mel e bastante frescor. Na boca acidez equilibrada, frutas amarelas, baunilha e muita delicadeza. É bom como aperitivo ou com saladinhas e peixes. Sem erro!

Bourgogne Aligoté 2015
De um dos produtores mais elegantes da Borbonha – Joseph Drouhin. As uvas escolhidas para elaborar o branco borgonhês é localizado na Côte d’Or. Com 100% casta Aligoté, é um vinho leve e elegante. É fresco, delicado e com aromas de maçã cítrica e maracujá. Tem corpo médio, equilíbrio e final longo. Uma delícia. Teor alcoólico: 12%.

Côtes de Provence Grand Ferrage 2015
A diretora da vinícola Michel Chapoutier no Brasil, Sara Ferreira, esteve presente em tasting e nos contou que o Rosé da Côtes de Provence só têm a cor e o aroma de um Rosé regular da região, mas que no paladar pode trazer surpresas. E foi exatamente isso. Tem aquela cor bem clarinha típica de um Rosé da Provence, com aromas de frutas vermelhas como morangos e framboesas e notas florais. Mas na boca é gastronômico e com estrutura. É um vinho que vai bem com peixes e camarões. Teor alcoólico: 13%.

Mosel Incline Riesling QBA 2015
Os alemães sabem como ninguém fazer um bom Riesling. O produtor Selbach-Oster apresenta aqui três vertentes deliciosas e completamente diferentes desta casta. O Mosel Incline Riesling é delicado, com aromas de flor e fruta madura, além de notas de doçura. O vinho cresce na boca com frescor e acidez equilibrados. O final é longo e persistente. Teor alcoólico: 12%.

Zeltinger Riesling s-o Kabinett 2014
É um blend de elegância, acidez equilibrada e aroma de frutas com um pouco de botrytis (que adoramos). Na boca maçã vermelha, persistência e vontade de repetir mais uma taça. Teor alcoólico: 11%.

Zeltinger s-o QBA Trocken Bomer 2015
Por aqui, com este Riesling há mais evolução nos aromas, como frutas secas, uva passa, favo de mel, baunilha e botrytis. Na boca é magnífico, com o dulçor da baunilha, frutas maduras e boa acidez. É longo, fresco e marcante. Teor alcoólico: 12,5%.

Hochheimer Guts Riesling QBA Trocken 2015
Do produtor alemão Domdechant Werner, o 100% Riesling é leve e delicado. Com alta intensidade aromática, que nos traz frutas maduras e secas, amêndoas, frescor e complexidade. Na boca é um vinho vibrante e saboroso, com acidez equilibrada, persistência e final longo. Ótimo para ter na sua adega. Teor alcoólico: 13%.

Mistral Importadora
Rua Rocha, 274, Bela Vista
São Paulo
Tel: (11) 3372-3400 / 3372-34220
Fonte: www.mistral.com.br